ECLIPSE COM SUPER LUA

Eclipse com ‘super lua’ será visível na América Latina na quarta; veja a previsão e entenda o fenômeno

Evento será registrado no início da manhã de quarta-feira (26) no horário de Brasília e observado na maior parte do continente. Como em todo eclipse lunar total, satélite irá adquirir uma tonalidade avermelhada, a chamada ‘lua de sangue’.

A foto combinada mostra a Lua completamente eclipsada, no centro, e as diferentes fases do eclipse lunar total conforme visto em Los Angeles, Califórnia. — Foto: Associated Press

No início da manhã desta quarta-feira (26), o Brasil poderá ver a fase inicial de um eclipse lunar total – quando Sol, Terra e Lua se alinham e nosso planeta faz sombra sobre o satélite. A fase total, no entanto, será mais difícil de assistir devido à luminosidade e por causa do próprio curso do fenômeno (entenda no mapa abaixo).

O eclipse começa às 6h47, no horário de Brasília. A fase da umbra – quando a sombra do Sol começa a ser observada na Lua –, tem início às 7h44. Às 8h11, o satélite estará na fase total máxima, até as 8h25: 14 minutos. A fase parcial segue até às 9h52 e tudo termina às 10h49.

Como o eclipse ocorrerá no início da manhã no Brasil, o ideal é tentar acompanhar o fenômeno durante o amanhecer, caso ainda haja visibilidade. A Austrália, a Nova Zelândia, entre outros lugares do planeta, deverão ser os lugares com a melhor chance para observação. Na América do Sul, os vizinhos Chile e Argentina também poderão pegar boas imagens da Lua.

Diferente de um eclipse solar total – quando o que é “escondido” é o Sol – a observação da versão lunar não exige um óculos de proteção. A visão da Lua é a olho nu. Um binóculo ou uma luneta simples podem ajudar. É mais fácil de assistir em áreas menos iluminadas – campos e praias – e com o horizonte livre.

Veja no mapa abaixo:

Eclipse lunar total em 26 de maio — Foto: G1

Superlua

A Lua também estará próxima de seu perigeu – ponto de sua órbita mais perto da Terra. Por isso, ela parecerá maior para quem a observar da perspectiva do nosso planeta.

Quando isso acontece, o fenômeno é chamado de “superlua”.

Como é um eclipse lunar total — Foto: G1

Além disso, em todo eclipse lunar total se observa a chamada “lua de sangue” – termo usado popularmente, mas não adotado tecnicamente pelos astrônomos, e que se refere ao tom avermelhado que a Lua assume quando entra na fase máxima de sombreamento. Essa mudança de cor é provocada pelos mesmos fatores que fazem o céu ser azul.

Nesta quarta-feira, a Lua deverá assumir essa tonalidade na fase total do eclipse. Sol, Terra e Lua ficarão alinhados, e nosso planeta bloqueará a passagem dos raios solares até o satélite. A forma como a luz de cores vermelho e laranja é “desviada” ao passar pela atmosfera da Terra reflete na Lua, criando o tom da “lua de sangue”.

VEJA A NOTICIA NO SITE G1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s