ENCONTRADOS OS CORPOS DOS HERÓIS

Foram encontrados os corpos dos dois bombeiros que desapareceram há uma semana no combate ao incêndio na sede da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul.

Corpos dos dois bombeiros, que estavam desaparecidos após incêndio no prédio da Secretaria de Segurança Pública do RS, foram encontrados.

Bombeiros mortos em incêndio no prédio da SSP-RS são velados em Porto Alegre

Corpos do tenente Deroci Almeida e do sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós foram encontrados na noite de quarta-feira (21), nos escombros do prédio da Secretaria de Segurança Pública. Buscas levaram uma semana.

Os bombeiros mortos no incêndio que destruiu o prédio da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS), serão velados a partir das 12h desta quinta-feira (22) em Porto Alegre.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do RS, o velório com honras fúnebres será realizado na sede do 1° BBM, na Rua Aureliano de Figueiredo Pinto, n° 345, na Capital.

O tenente Deroci Almeida e o sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós estavam desaparecidos desde a noite do incêndio, no dia 14 de julho. Os corpos deles foram encontrados em meio aos escombros na noite de quarta-feira (21).

A operação de busca e resgate levou uma semana e aconteceu durante 24h por dia.

HOMENAGENS

O governador Eduardo Leite decretou luto oficial de três dias no Rio Grande do Sul pela morte dos dois bombeiros.

“Precisamos prestar a devida homenagem aos nossos dois bombeiros militares, que foram devolvidos às suas famílias ontem [quarta], infelizmente sem suas vidas, mas permitindo a essas famílias que façam a merecida despedida e a justa homenagem ao tenente Almeida e o sargento Munhós. Eles são a expressão da entrega dos nossos servidores da Segurança Pública, nessa nobre missão em que juram colocar a própria vida em risco para salvar outras vidas”, diz Leite.

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, também decretou luto de três dias na cidade.

O incêndio

Um incêndio destruiu parte do prédio da Secretaria de Segurança Pública do RS, na noite de quarta-feira, 14 de julho, em Porto Alegre. Cerca de 50 funcionários do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI) estavam no prédio quando o fogo começou. Todos conseguiram sair do local a tempo.

Informações preliminares indicam que o fogo teria começado no 4º andar do prédio, mas todos os nove andares foram atingidos. No imóvel, funcionavam os setores administrativos da Segurança Pública: Instituto Geral de Perícias (IGP), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Detran, além do serviço de 190 da Brigada Militar, que ficou inativo, mas já foi retomado.

Não há indício de crime, mas a Polícia Civil instaurou inquérito para investigar as causas do incêndio.

Cerca de 95 mil processos do Detran foram perdidos e o monitoramento por câmeras do Departamento de Comando e Controle Integrado ainda não foi totalmente restabelecido em cidades do interior. A central foi criada em 2014, para a Copa do Mundo, e teve investimento do estado de R$ 35 milhões em equipamentos.

Segundo o governo, o incêndio não afetou os trabalhos de policiamento e os 300 funcionários que trabalhavam no prédio estão sendo realocados.

O PPCI estava em dia, segundo o governo. De acordo com o secretária de segurança pública, Ranolfo Vieira Júnior, provavelmente o prédio será totalmente demolido e um novo local de trabalho será construído

CORPOS ENCONTRADOS

Quatro horas depois de encontrar, nesta quarta-feira (21/7), o corpo do primeiro-tenente Deroci de Almeida da Costa, um dos bombeiros desaparecidos após o incêndio do prédio-sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) há uma semana, as equipes de busca, resgate e salvamento do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) localizaram o segundo bombeiro desaparecido.

O segundo-sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós foi encontrado por volta das 22h30 desta quarta (21), a quatro metros do local onde estava o tenente Almeida, localizado pelas equipes por volta das 18h30. Ambos foram encontrados no térreo do edifício, próximos à entrada do Departamento de Comando e Controle Integrado (DDCI), sob os escombros.

“Mais uma vez, ressalto que esses bombeiros cumpriram ao extremo seu juramento de colocar sua vida em risco para salvar outras vidas. E, seguramente, salvaram muitas vidas, da sua própria guarnição, que estavam fazendo o combate ao incêndio, garantindo que ninguém ficasse para trás, assim como os 115 homens e mulheres que também cumpriram seu juramento de não deixar ninguém para trás e se mantiveram até agora em busca dos colegas desaparecidos”, reforçou o governador Eduardo Leite, em coletiva de imprensa concedida em frente ao prédio da SSP, na madrugada desta quinta-feira (22/7).

Para chegar ao local do corpo, as equipes do CBMRS realizaram a remoção de escombros e a abertura de acessos na área. Assim, foi possível chegar ao centro do edifício. Os chamados binômios (dupla homem e cão) deram indicações mais precisas quanto à localização em um acumulado de escombros de cerca de seis metros. As equipes de Busca e Salvamento e de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (Brec) seguiram com a remoção das estruturas dos pavimentos desabados até a localização dos corpos.

Com mais de 30 anos de serviço, o segundo-sargento Munhós já tinha condições de se aposentar e estava de folga no dia do incêndio.

Ele seguia conosco porque realmente gostava do que fazia, saiu de casa assim que soube da ocorrência. Veio de Viamão para Porto Alegre para ajudar seus companheiros que estavam servindo naquela noite. E estava ajudando o oficial tenente Almeida, que era o responsável inicialmente por toda atividade operacional de combate ao fogo”, detalhou o comandante-geral do CBMRS, César Eduardo Bonfanti.

O corpo já foi encaminhado ao Instituto-Geral de Perícias (IGP) para a devida identificação e liberação. Paralelamente, o governo do Estado dará todo suporte às famílias para que rapidamente sejam encaminhadas as honras e os tributos justos ao tenente Almeida e ao sargento Munhós.

“Há exatamente uma semana, estávamos aqui conversando com vocês, na primeira conversa após essa tragédia, e esse processo de busca se finaliza hoje, graças ao empenho e a dedicação de todos que seguiram trabalhando 24 horas por dia. Encerra-se, portanto, essa etapa e, nesta quinta, haverá desmobilização total da área. Passaremos então ao segundo momento, a busca mais rápida possível pela demolição total do prédio que já está condenado pela área técnica”, detalhou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, durante a entrevista coletiva.

Desde o início dos trabalhos de combate ao incêndio no prédio, na noite de 14 de julho, o CBMRS organizou uma estrutura operacional completa para viabilizar o trabalho ininterrupto de combate ao fogo e resfriamento da área. Tão logo foi verificada a ausência de dois bombeiros militares que atuavam na ação, também foi mobilizada toda a capacidade de busca e resgate aos desaparecidos. Os trabalhos ocorreram ininterruptamente, dia e noite, em busca dos dois bombeiros.

No pátio da SSP, houve alocação de todo o efetivo e equipamentos necessários à operação de resgate dos agentes desaparecidos. Nesta quarta (21), 115 pessoas, entre bombeiros militares e técnicos, estavam atuando nas buscas e no trabalho de remoção de escombros para ampliar os acessos ao prédio.

VEJA A NOTICIA NO SITE ONACIONAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s