Brumadinho: ‘Momento de emoção’

261º corpo identificado da tragédia da Vale

Corpo de Juliana Resende foi encontrado após mais de 940 dias de buscas em Brumadinho. Oficial conta que família estava na área de buscas quando recebeu notícia da identificação da analista administrativo.

–:–/–:–

‘Momento de muita emoção’, diz major sobre identificação vítima da tragédia da Vale

Há 21 anos no Corpo de Bombeiros, o major Rafael Cosendey participa das buscas pelas vítimas da tragédia da Vale desde o primeiro dia. Na última terça-feira (24), quando foi encontrado o corpo de Juliana Resende, era ele quem estava à frente da operação Brumadinho.

“São mais de 940 dias de operação e a gente não desacreditou em momento nenhum e continuamos seguindo firmes, em prol dessa missão”, disse.

Juliana Creizimar de Resende Silva, quando ainda estava grávida dos gêmeos. Ela morreu poucos meses depois que eles nasceram, na tragédia da Vale — Foto: Reprodução

O subcomandante do Batalhão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres (Bemad) conta que, nesta quarta-feira (25), a família de Juliana estava na área de buscas quando foi informada sobre a identificação da analista administrativo.

Eles estavam lá ontem [quarta-feira] para uma visita técnica. Nos pediram para levá-los na área da localização e logo depois veio a notícia da confirmação. (…) Momento de muita emoção”, disse.

Juliana era casada com Dennis Silva, que também perdeu a vida no desastre. O casal deixou filhos gêmeos, que tinham apenas dez meses na época do rompimento. Hoje, eles vivem sob os cuidados dos avós e da tia. A família é um dos símbolos da luta incansável para que todas as vítimas sejam localizadas. Até o momento, 261 pessoas já foram identificadas, mas nove continuam desparecidas.

Para o major, o encontro do corpo de mais uma das 270 vítimas, a quem chama de joias, pode ser representado pelo sentimento de alívio.

“A gente fica mais aliviado por poder aliviar, mesmo que um pouco a família, para poder encerrar o processo de luto e se despedir”, disse.

Major Rafael Cosendey estava á frente da operação no momento em que corpo de Juliana Resende foi encontrado — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

2,5 mil pessoas nos trabalhos de buscas

Segundo o oficial, atualmente cerca de 40 bombeiros trabalham nas buscas, mas, diariamente, a operação envolve cerca de 2,5 mil pessoas.

“Eu destaco que a emoção vem dotada de um aspecto macro, no sentido de que todas as pessoas que trabalham hoje de forma integrada sentem a emoção de estar fazendo esse resgate”, disse.

Juliana foi encontrada em uma área conhecida como Remanso 1, que está em fase final de vistoria, e o estado de conservação do corpo foi um aspecto que chamou atenção dos militares. Segundo o major, o encontro de segmentos tem sido constante e, inclusive, uma localização foi realizada nesta quarta.

Ele diz que, atualmente, a operação se encontra na sétima fase e, a expectativa que seja implementada no próximo mês a oitava estratégia de buscas, visando a otimização dos trabalhos.

E ele reforça o compromisso da corporação de continuar a procurar pelos desaparecidos até que todos sejam localizadas ou até que não haja mais viabilidade técnica.

VEJA A NOTICIA NO SITE G1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s